sábado, junho 26, 2010

Multivíduos ou A nova Teoria da Relatividade Existencial

Multivíduos ou A nova teoria da relatividade existencial


Somos multi, multi indivíduos,
acompanhando a lógica do multi universo

Descobriu-se, apesar das não provas,
que o universo não é mais uni,
agora, é multi, assim é multiverso

E, nós seres,
assim como o universo, não somos mais INDIVÍDUOS
somos multivíduos, multi nos vários papéis que desempenhamos

Será aqui também a soma das partes maior que o todo?

A soma dos vários EUS em nós é maior do que o meu EU, único indivíduo?
equação interessante...
basta matematizar a construção do eu e minha atuação dentro deste universo múltiplo que encontro minha fórmula.

Múltiplos eus em Múltiplos universos

Afinal, quem somos? 
podemos nos desfazer das várias camadas assumidas,
como papéis personagens de mundos distintos?

Dentro do nosso eu habita um sistema complexo,
vários papéis, interações com seus outros papéis,
interações de seu outro eu, a cada interação há uma construção nova,
nova variável que não pode ser desassociada de você.

Interações coexistem, simultâneas nos vários papéis,
teoria dos conjuntos, conceitos primitivos,

alguns são eventos excludentes outros não...

Como coabitar dentro de mim tantos eventos? alguns excludentes...

Explica-se aí as culpas das noites de cada um...

Posso efetivamente me despir de minhas várias camadas, e me apresentar desnuda de mim?

Há um conjunto vazio? 


O meu conjunto vazio não se apresenta vazio, a minha essência desnuda, talvez, minguada, tal qual um individuo de Biafra não é vazia, é conjunto universo.




8 comentários:

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


TE SIGO TU BLOG




CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...


AFECTUOSAMENTE
PATRICIA

ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE BLADE RUUNER , CHOCOLATE, EL NAZARENO- LOVE STORY,- Y- CABALLO.

José
Ramón...

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

cito Otávio Paz:
Quanto somos
que sendo tanto
somos tão pouco...

Marcio Nicolau disse...

Teoria complexa. Como eu costumo dizer: deu um nó na minha cabeça. Depois dizem que matemática não é um bicho de sete cabeças... Quisera eu, aliás, ter sete cabeças agora. rs
À própósito: adorei as cores por aqui.

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Eu fico com a nova teoria da relatividade existencial, até porque multivíduos em um pensamento concretizado eu diria que sempre fomos, se pensarmos nas tarefas realizadas. Mas hoje em dia é essa coisa do existencial que pega, é essa metamorfose que eclode a cada cinco minutos, é essa pressa de ser outro no outro que confunde o estar vazio em um conjunto de tarefas imaginadas, é essa máscara escondida pensando que está à mostra. Tudo gira em torno da fantasia, o virtual das nossas ideias escritas, na prática o vazio ordenado pelo cérebro impera. Difícil achar a saída diante de tantas entradas sem fim.

Penso que só há conjunto vazio quando morto, e nem precisa ser fisicamente.

Um texto pra exercer a mente. Legal.

até mais.

Jota Cê

Lua Nova disse...

Somos tanto que mesmo tudo é pouco para dizer o quanto...

Beijos.

Canto da Boca disse...

Patrícia, trazes-nos um belo e intricado universo de perguntas. Eu não sei responder!
Às vezes tenho medo de tantas que sou nesse universo único que se multiplica em tantas de mim...
Até mesmo o vazio está cheio. Cheio de nada!

Um beijo grande e ótimo final de semana!!

Ivan Bueno disse...

Ah, Patrícia.
Entre a minha "Busca" e este seu "Multivíduos ou a Nova teoria da relatividade existencial" ficou mais difícil de achar. (rs...)
Adorei o título, que revela que tudo o que a física quântica, as religiões e as filosofias já revelaram, nada esclarecem e, portanto, é uma revelação não revelada. Saiu disso o que chamam "ocultismo", será?
Não sei que eu te escreve, de qual universo, mas escrevo assim mesmo, nesta "busca de multivíduos ou na nova teoria da relatividade existencial".
Nossa, saio buscando mais! (rs...)
Gostei do jogo das fontes em tamanhos diferentes, negritos, itálicos, cores etc. Ficou também formatadamente múltiplo. Busco.
Beijo grande.

Ivan Bueno
blog: Empirismo Vernacular
www.eng-ivanbueno.blogspot.com

Saulo Taveira disse...

Maravilhosamente complexo.
Sou ator e locutor, interpreto cada texto em voz alta, ponho pra fora todos os meus EUS, os exploro.

Beijos dos meus eu pros teus.