quinta-feira, agosto 28, 2014

Reinvenção



Olho os pés à procura da direção do caminhar,
se está plantado firme e forte ou se
repousa à espera de um comando sereno.

pernas quietas sentadas em posição de lótus,
mãos em um mudrá silencioso agradecem,

a mente observa, espreita um sentir não definido,
um vazio ausente de nada,
um nada ausente de vazio,

em meio ao nada e o vazio,
existo
|absoluta|.



quinta-feira, março 20, 2014

Fragmentos genéricos


s  o  u     e   m     p  a  r  t  e  s, 
souinteira,
sou dizzzima periódica,
+ soma + que # nunca bate,

o latido ao longe não prenuncia nada, somente um cachorro com tédio.

a luz da lua é fria, nem por isso deixa de aquecer os corações apaixonados.

volta e meio me recordo de você, sonhos recorrentes que nada explicam, mas ficam, deixando um gosto de ontem, misturado com algumas lágrimas que fogem para a ver a luz da manhã.