domingo, maio 29, 2011

o prazer cálido das manhãs inexistentes*


a maciez da noite cai translúcida
tímida ante seu olhar tremulo de moca jovem
a alma voa livre para encontrar o amor perdido na madrugada dos tempos
seu toque suave insiste na lágrima que molha caminhos


dedos ao acaso revelam um amor doído
orgasmo de um desejo incerto


seu olhar jamais volveu ao meu, e no entanto, ainda te busco nos
amanhãs que nunca chegam.


* p. s - esse poema está la no blog do amigo Tuca Zamagana, desinformação seletiva,  faz parte de um presente coletivo para a linda Raíssa. Mais uma vez, parabéns Raíssa!

quarta-feira, maio 25, 2011

Espera

te busco, de forma incerta
na certeza de amanhãs que virão
na geografia imprecisa
entre um raio de sol
e uma folha trêmula
o veludo da terra abriga
segredos úmidos
uma dor, sem pai ou mãe
orfã dos tempos
das horas também incertas
acalenta ausências

não há conforto na dor do amor
somente a certeza...
do vazio





domingo, maio 22, 2011

Despedida

Obscura em mim sua alma sem detalhes
silenciando lamúrias sutis de um entardecer opaco

feito de espelho e quimeras de um desejo antigo
com brisas de folhas azuis a agitar a janela
mosaico de pedras e seixos esquecidos
gravetos mortos e tortos
saídos, de um simples
era uma vez...


quinta-feira, maio 05, 2011

Previsão do tempo

te quero como uma manhã gentil
clara, límpida
e leves nuvens esparsas
lá longe no horizonte
desejo bobo de previsão do tempo
ah, ledo engano meteorológico
amanheceste assim
nublado e tempestuoso
e eu, sem galochas ou guarda-chuva
fiquei assim
molhada e com frio

segunda-feira, maio 02, 2011

Desejo


o riacho cala o silêncio da tua nudez


                   o vento treme ao ver-te nua


                                    ambos perpetuam desejos


À flor da pele!
Foto: À flor da pele - Mcpial /br.olhares.com