quinta-feira, agosto 25, 2011

Indefectível destino

Atrás de suaves carícias, olhei seus olhos, o brilho ingênuo lembrava coragem, determinação e bondade, olhos de quem busca o caminho, e eu, alguma pista que mostrasse o interesse, afinidades soltas, perdidas, toques avulsos de um inconsciente presente na ponta dos dedos. Conheço-te de longe, bem longe... Sem explicação aparente fiquei nervosa e com as pernas bambas. Ah, vá entender, coisas estranhas de mulher maluca que cisma com o indefectível destino. Será? Não sei, mas que dá o que pensar dá.

quarta-feira, agosto 10, 2011

Turista

Olho como quem olha bicho esquisito, olhar estrangeiro em terra estranha. Busco detalhes, o negativo de uma foto a revelar. Linhas, arcos, curvas, arquitetura imprecisa, sem rigidez, sem padrão. Na esquina um saco de lixo briga contra valores,  modernidade e educação. Temas, questões existenciais, arquitetônicas, emocionais passam como paisagem, pela janela fico admirando, como turista acidental uma realidade que me chega distante.

sexta-feira, agosto 05, 2011

deserto

a vida passa mais lenta, na poeira dos templos, nas pedras milenares, na sombra fresca da arvore, memorias de outras eras, o passado e o presente, na pedra.