quarta-feira, junho 09, 2010

Desassossego da alma *

Minha alma inquieta busca,
Caminhos outros,
Outra cor para o céu,
Outra cor para o mar,
Para vida busca definição,
Para o tempo,
Outra forma de dizer não,

Minha alma inquieta busca,
Respostas nunca ditas,
Conceitos jamais criados,
A face de Deus,
O endereço do céu,

Minha alma inquieta,
É criança, lúdica,
Busca um amor impossível,
De desejos insólitos,

Minha alma inquieta,
É sem descanso,
fala, ama, grita
atropela momentos,

Tem urgência de vida,
Felicidade e desejos,
E no caminho vai...,
Levando flores,
Provocando amores,
Causando espantos.

Vai alma, vai,
Mas, não se esqueça,
No caminho, de se hidratar.


* Entendem agora porque minha alma fugiu...., o trabalho é deveras pesado...

20 comentários:

HM disse...

Ela se hidratará com lágrimas, com o suor, com a saliva, com o melhor...
A face de Deus está no seu espelho, está no céu, está no mar.
Que bom que essa inquieta alma tem urgência de vida, pois a vida tem o contorno e o transtorno da urgência.
Se ela busca por respostas nunca ditas, por conceitos inéditos, ela é uma alma rica e bendita, além de inquieta.
Quero ouvir os gritos e as falas dessa alma que se agita, aflita, esquecida de que almas não falam, nem gritam, almas são redes que esticam o tempo, até que ele nos alcance e, num lance, percebamos que ele não existe, nem a alma, somente o desejo, o espanto, as flores, o céu e o mar (que terão outras cores, sim, a cor dos sabores e amores da sua alma imaginária, da sua incendiária alma, a queimar etapas e arder em chamas, de tanto a vida chamar...).
Bom dia!!!

Sr do Vale disse...

Um céu surreal tem outras cores, uma alma inquieta simboliza a rebeldia ante a normalidade banal.

Carol Morais disse...

Teu poema pareceu tão inquieto quanto o eu lírico que o narrou. Lindo demais. A forma como você trabalhou as repetições, me deixaram inquieta também!
Lindo!

Beijos

Geraldo de Barros disse...

querida, como sempre poemas lindos lindos, adorei

=)


beijo grande
G


ps ah se a sua alma encontrar a minha por aí fala pra ela oferecer agua pra minha que essa é teimosa saiu sem levar hehe

Juan Moravagine Carneiro disse...

é preciso ter um caos dentro de cada um de nós...

belo poema

abraço

guru martins disse...

...ei menina!!!
textos alegres
a reflexão não tem que ser
dolorida e nem melancólica
pra gerar poesia, né?
o balaio te recebe com alegria...

tamos juntos, bj

Cadinho RoCo disse...

O risco da desidratação não deve atrofiar a ânsia das nossas idas.
Cadinhoo RoCo

Mônica disse...

Ai, alma! Como é difícil dar conta dessa entidade. Estamos juntas amiga! Já viu o layout novo do www.realvalor.blogspot.com ? Estou, finalmente, aprendendo a blogar, interagindo devagar... Acabo de colocar seu blog na lista. Até isso estou fazendo. rsrs Beijos e saudades!

Marcio Almeida Nicolau disse...

Tenho uma especial adoração não pela introdução, mas pelo fechamento dos textos. Adoro a última palavra, a derradeira, arrebatadora. Ou o comentário após o fim, que explica tudo e faz pensar.
Isto posto, quero dizer que gostei demais do texto, mas gostei, sobretudo da observação final. "Entendam agora porque minha alma fugiu..., o trabalho é deveras pesado."
Lindo isso!
Parabéns e, se quiser, visite meu blog recém criado: wwww.espacointertextual.blogspot.com

Sil.. disse...

E como é deveras pesado minha flor..

Minha alma tbm anda...por ai!

Queridaaaaaa, sou sua fã!

Patrícia Gonçalves disse...

HM, a vida nos chama, há urgência no chamado, pois a vida arde de urgência. A questão é como atender esse chamado sem deixar que as chamas da urgência nos queime.

beijão

Patrícia Gonçalves disse...

Sr do Vale, talvez seja isso, a minha vida tem sido surreal porque fujo, que nem diabo da cruz, da santa banalidade!

beijo

Patrícia Gonçalves disse...

Carol, obrigada! A minha inquietude já rendeu muitas horas de terapia. Tinha mania de repetições, mas tenho um amigo, grande poeta, Andrezinho, que odeia isso e sempre me criticava, aprendi a ser parcimoniosa com as repetições, embora eu seja repetitiva!

Grande beijo

Patrícia Gonçalves disse...

Geraldo, com certeza, se minha alma encontrar a sua por aí, as duas não beberão agua, irão beber outra coisa pra celebrar a vida!

Beijo poeta!

Patrícia Gonçalves disse...

Juan, obrigada, o problema de se ter um caos dentro de nós é ter um caos dentro de nós!

Obrigada pela visita!

beijo!

Patrícia Gonçalves disse...

Oi Guru, obrigada pela visita. Cara, todos os momentos inspiram poesia!

beijo

Patrícia Gonçalves disse...

Obrigada, Cadinho pela visita, graças a Deus, não sou avessa a riscos!

beijo

Patrícia Gonçalves disse...

Mônica, linda, um milhão de desculpas pelo seu aniversário. Parabéns!

Estamos juntas sim!!!!

Vou lá conferir!

Grande beijo

Patrícia Gonçalves disse...

Oi Márcio, obrigada pela visita. Eu também adoro os finais, principalmente os desencontrados que não tem um nexo direto com o texto.

Seja bem vindo!!!

Grande beijo

Patrícia Gonçalves disse...

Sil, linda eu é que sou sua fã, distribuindo flores, sorrisos e acalento em seu blog.

Essas almas deram pra andar por aí, vamos fazer uma festa no encontro!!!

Grande beijo