terça-feira, agosto 10, 2010

A surpresa do sentir compartilhado

        A manhã que me sorri, é a mesma manhã que foi lhe dar bom dia. Abrimos os braços para os mesmos raios de sol. Nosso sentir é compartilhado, o sentir é sempre o mesmo, mas a forma do sentir pensava eu ser única, e agora vejo que não, visito cantos onde reconheço palavras, sonhos e temores.
        Minhas buscas, já foram suas ou serão de outros, nossos caminhos se cruzam, na poeira do tempo, do acaso, coincidências ou não...
        Mas, a certeza de estarmos de mãos dadas caminhando juntos.

29 comentários:

Léo Santos disse...

Bem pensado! Ótimo texto! Tanto para aquele sujeito que, dormindo, nem mesmo viu que o dia havia raiado, como para o outro que embriagado retorna a casa fugindo dos raios da manhã, o sol é o mesmo astro que vem todo o dia trazer vida e renovar as energias da humanidade!

Um abraço!

Ava disse...

Essa forma poética de usar as palavras para falar de coisas simples, como raios de sol, de buscas, de manhas é tão belo!

"...nossos caminhos se cruzam na poeira do tempo..."

Moça, dá para arrancar suspiros com tanta poesia!

Beijos meus!

Robin K disse...

Segura essa mão que caminha do teu lado.
É a melhor prenda que a vida nos pode dar.

Sil.. disse...

Pat, HOJE só acredito no segurar das mãos que caminham VERDADEIRAMENTE JUNTAS.
Na mesma direção, sintonia, sinfonia.
Caso contrário, não sonho.


Se for intenso e verdadeiro, segura firmemente nessas mãos.

Um beijo pra ti, linda!!

Ivan Bueno disse...

Patrícia,
O amanhecer que conta, no fundo, é o que se dá (ou não) dentro de nós. A capacidade de apreciar o por do sol real, não o metafórico, varia de pessoa pra pessoa e de época em época. Seu texto diz isto com sutileza.
Beijo grande,

Ivan Bueno
blog: Empirismo Vernacular
www.eng-ivanbueno.blogspot.com

carmen silvia presotto disse...

E que os nossos versos sigam cruzados, uma ótima maneira de seguir caminhando...

Um beijo Patrícia.

Carmen Silvia Presotto

Saulo Taveira disse...

Eu algemei meu pulso ao teus pelos versos.
Bjus. Sigamos experimentando, trocando, produzindo, sentindo as manhãs e, como agora, as noites.

Sylvia Araujo disse...

"A manhã que me sorri, é a mesma manhã que foi lhe dar bom dia. Abrimos os braços para os mesmos raios de sol."

Humanidades pra quem sabe sentir - como você.

Lindo, queridona!

Beijoca

Saulo Taveira disse...

KKKKK
Moça de Marte, me algemei aos teus versos apenas porque tenho pouca força nas mãos, não quero mais me perder de ti, de tua escrita. Você vai fundo no coração da gente, faz graça, alegra, emociona. Algemado por palavras, sentir, mas as asas batem forte, e voamos alto, e juntos, e alegres...

Beijo grandemente carinhoso.

Helcio Maia disse...

Bom ler isso, moça. Que o caminho seja longo, que a poeira baixe, que o tempo passe e as mãos prossigam unidas, pela certeza de que sempre será tempo de acreditar e ser feliz.
Boa trilha, menina!!

Marcio Nicolau disse...

Patrícia: senti nos posts anteriores, não sei bem dizer porque, algo como uma transição nebulosa (impressão talvez infundada). Mas este texto aqui não: descortina-se cheio de luz pra falar daquilo que coincide e é semelhante. Lindo.

Marcio Nicolau disse...

O Thomaz me seguindo é uma honra, diga-se de passagem.

Saulo Taveira disse...

Patrícia, as mudanças vem na hora certa. Tudo em mim está melhor, até o meu cantar que eu detestava tá mais livre.
A gente luta, resiste, tem medo de sentir, trocar, se permitir...
Enfim, vou avisar ao santo o nosso parentesco e, assim, ver se ele adianta um pouco meu lado, aí aproveito e peço por ti. hehehe
Não fique triste, estou muito feliz. A saudade a gente burla aqui, nos conhecendo cada vez mais pelas palavras.

Beijo carinhoso. Linda noite fria.

Valéria Sorohan disse...

Eu sempre me surpreendo quando venho aqui. Um entrelaçar de versos perfeitos! É realmente um prazer caminhar junto de você.

Lua Nova disse...

Esse teu jeito de fazer poesia das coisas que, a maioria, sequer enxerga, sequer se dá conta, é o que há de mais envolvente nos seus textos. A verdade é que sempre que venho aqui, saio com uma flor entre os cabelos, em busca de brisa e cheiro de mato. Adoro te ler.
Beijos, minha linda.

Marcio Nicolau disse...

Você, o Thomaz e a Anita são agora extensão da minha família.

Patrícia Gonçalves disse...

Léo, vamos abrir os braços e que o sol venha os dias em nós!

beijo grande!

Patrícia Gonçalves disse...

Obrigada, Ava!

Na verdade, a poesia que me habita é a que leio nos blogs de vocês!

Beijos!

Patrícia Gonçalves disse...

Robin, obrigada pela mão que me estende!

bjs

Patrícia Gonçalves disse...

Sil, o segurar tem que ser firme, sempre!

beijo grande!

Patrícia Gonçalves disse...

Ivan, o que conta mesmo é a nossa capacidade de contemplação, esse olhar que nos permite perceber o belo!

beijo grande!

Patrícia Gonçalves disse...

Carmem, nossos versos conversam, andam, cantarolam e brincam, o seguir compartilhando...

beijo!

Patrícia Gonçalves disse...

Saulo, que lindo, dizer que se rendeu aos meus versos!

Beijo grande!

Patrícia Gonçalves disse...

Sylvia, obrigada, moça! Humanidades para todos nós!

beijão!

Patrícia Gonçalves disse...

Saulo, ah bem.... rsrssr. Obrigada moço pela companhia!

Vamos seguindo e voando!

Patrícia Gonçalves disse...

Marcio, obrigada por me ler e compreender!

Beijo grande!

Patrícia Gonçalves disse...

Valéria, obrigada! Tomara eu possa surpreender sempre!

Um abraço carinhoso!

Patrícia Gonçalves disse...

Lua Nova, obrigada querida. Acho que não sei escrever de outra forma. Bom saber que levas flores do meu jardim!

beijo grande!

Patrícia Gonçalves disse...

Márcio, você também!