terça-feira, abril 12, 2011

Sombras, talvez

Não me habitam as palavras, habitam sombras, sombras vagas, difusas, que se escondem aos prantos, nos cantos, tormentos do agora, do que foi ou poderia ser, sombras, desenhos opacos, da tênue luz que limita e cerca, sentimentos a esmos, dor, prazer, você em mim, perdido, de tanto em tanto, não me queira mal, te quero bem, tão bem que dói, o amor desconheço, mas conheço o ferir de querer, a mão que prende e também liberta, me deixe ir, não sei o que quero, talvez o sol do amanha ou talvez a brisa da tarde, me beije e, então, se vá, não me ouça, não sei o que falo, já nem sei e me perco, me perco em palavras, não, em sombras, e como círculo um todo recomeço, e então, de novo, as sombras....

6 comentários:

orespirardopensamento.blogspot.com disse...

Gostei, Pat....

Mas vou lhe dar um conselho!!!!!!
Fuja.....
fuja a sete pés....antes que o Sol se esconda por detrás de Ipanema!!!!!
Afugente as sombras!!!!!!
Vade retro! Vade retro! vade retro!

Beijo
afonso rocha

Bípede Falante disse...

De novo as sombras para a gente desejar o sol :)
Lindo post.
beijos

Patrícia Gonçalves disse...

Afonso, já tô protegida! rsrsr

Patrícia Gonçalves disse...

Bípede, sol, calor e luz, muita luz!!!

Emoções disse...

Poetas

Poetas são flores,
Que com o tempo começam a desbrotar,
As pétalas são o pensamento,
Que ao longo vai recitar.


Poetas são estrelas a Brilhar,
As suas luzes vêem do céu,
Que com um toque de magia,
Começam a se esnpirar.

Poetas são águas,
Que vão ao rio a descer,
Vão levando as tristezas,
Que deixaram de viver.

Patrícia Gonçalves disse...

Luna, que lindo, obrigada pelo presente!