domingo, novembro 29, 2009

Anoitece

tardes melancólicas,
mesmo o vento é silencioso.

a sombra nas folhagens traduz uma tristeza,
perpassa o vazio entre os galhos
e se mistura aos últimos raios de sol.

momento etéreo,
entre a sombra fria,
e o sol, que ainda ilumina.

o céu de um azul profundo,
se mostra límpido,
e só,

o olhar através da janela mostra
o fim do dia...

os carros passando,
lembrando lhe de sua solidão,
sua condição de ser perdido,

de suas tardes da vida,
quando a noite cai,
e você fica só.

2 comentários:

filipe2143 disse...

me identifiquei muito com isso...

Patrícia Gonçalves disse...

Legal, apareça sempre e fique a vontade para comentar.