quarta-feira, novembro 11, 2009

Paixão

Suspensa de tudo,
Suspensa de mim,

A alma num exercício de liberdade,
Pede permissão para se ausentar do corpo,

O corpo num exercício de vida,
Pára,
E, lembra-se de respirar,
Por um breve segundo,
Breve segundo,
Havia esquecido de buscar o ar,
Busca lá dentro, bem fundo,
Não no peito, mas na alma,

Esta, liberta que estava
Saiu para passear,
Saiu para ver as flores,
o céu azul...
o cheiro de jasmim...
Relembrar teus olhos,

Pobre alma, perdida que estava
Esqueceu de voltar.

5 comentários:

Adriana Esteves disse...

Maravilhoso e profundo. Vou mandar...rs

Mônica disse...

Já tinha lido tudo amiga! Mto bom podermos compartilhar sentimentos por prosa e poesia... Certamente, diminui a angústia das paixões. Ando a vasculhar a alma e as almas, numa inquietação...

Helcio disse...

Almas livres, como cavalos selvagens, com perfume de jasmin, dançando na chuva, sob uma nuvem de mistérios, parcialmente desvendados.
Mais um texto com sua marca registrada - a elegância com que baila com as palavras.

filipe2143 disse...

Muito bom, principalmente o final!

Patrícia Gonçalves disse...

Gosto dos finais desencontrados...