domingo, setembro 19, 2010

Uma tarde no hospital

- De um a dez qual a nota pra sua dor? Pergunta uma estagiária de enfermagem.
- Não tenho dor, informo já exasperada. Tenho sim, um desconforto na alma e no corpo. Tem aí nota pra desconforto ou falta de bem estar?
- Não, ela ri.
- É então para eu mentir? Pergunto meio morta, depois de duas noites sem dormir, somente tossindo.
Ela balança a cabeça e me dá uma pulseira amarela.

Olho no quadro o arco íris em dores!!! Azul morre na espera, foi ao hospital somente pra passear; verde, deve estar doendo em algum lugar bem pouquinho, feito mordida de formiga; pulseira amarela é pra quem está sentindo uma dor média, corpo metade na geladeira metade no forno. Sempre gostei desta frase de economista, um corpo pode ter a temperatura média e estar morto! Média não diz nada, assim usemos a mediana! Voltando ao assunto, falta a dor laranja e a vermelha, que é de quem já deve estar morrendo! A enfermeira simpática me manda para a sala amarela, uma graça, a cor do quarto combina com a pulseira. Não achei o quarto laranja nem vermelho...estranho...

Fiquei umas duas horas naquela sala, alguns pacientes pareciam estar bem piores, do tipo laranja. Conheci uma senhora simpática, com pneumonia grave, adorava chopp e boemia (não é a cerveja), gostava de samba, era da velha guarda. Uma outra senhorinha parecia uma menininha, com pena dos médicos, coitados, das enfermeiras, coitadas, só não tinha pena dela que estava ali desde às nove horas da manhã, isso já era umas 4 horas da tarde.

Tirei um cochilo, acordei e pensei que estava na hora de ser atendida. Fui pro corredor para pescar um médico. Simplesmente havia três ou quatro médicos para umas trinta pessoas!!! Fui segura na minha abordagem, já aprendi, paciente não pode nunca ser coitado, fale com o médico como se fosse médico, não demonstre ter respeito pelo parco conhecimento de medicina dele!!!Questione tudo!!!! Pois bem, não sei se fui chata demais com esse médico, mas ele me isolou, me tirou da sala amarela, me deu uma máscara e me colocou em um corredor distante de todos os outros pacientes. Disse que eu estava com suspeita de gripe suína, único vírus capaz de fazer aquele estrago em minha ausculta. Incrédula e rindo muito perguntei se ele estava falando sério. Não é que estava! Informei que minha filhinha estava com a virose e que havia apanhado do pai, a essa altura o médico me olhava espantado pensando, provavelmente, em uma pandemia de gripe suína!

Fiquei 5 horas dentro daquele hospital, ao final, meu pulmão estava lindo, só de saber-me com suspeita de gripe suína, curei-me! A médica que me atendeu tinha menos de 25 anos, como todos os outro médicos! Pelo menos sai do hospital viva e com um diagnóstico não tão mal assim, uma crise de traqueobronquite aguda e prescrição de antibiótico!

Na saída perguntaram se eu trabalhava no hospital, sempre acham que sou médica, deve ser minha postura altiva de quem sabe tudo e nada, coisa de médico!!!

21 comentários:

Marcio Nicolau disse...

Sou também psicólogo nas horas vagas e pergunto: é física mesmo a dor?

Cuide-se bem.

Patrícia Gonçalves disse...

Márcio, já tô quase seguindo o conselho do Helcio e procurando um medium, acho que está mais pra espiritual, meu lindo vaso de Espada de São Jorge está secando. Toda vez que as plantas começam a morrer eu fico preocupada...

Pode deixar, querido, estou me cuidando!

beijo grande!

Bípede Falante disse...

Patrícia!!

Patrícia Gonçalves disse...

Bípede, espero que não esteja a me chamar a atenção porque seu pai era médico!!!

Tenho que pedir desculpas aos médicos de plantão, filhos de médicos e casados com médicos!

beijos!

Saulo Taveira disse...

Gatona, mudar pra cá me revelou uma grande necessidade de mar.
Se quiser um bom banho, combinamos, chego no Rio quarta. hehe
Cuide-se. Te extraño muchísimo.

Boa semana de cura.

Patrícia Gonçalves disse...

Saulo, agora que conheço sua voz, imagino você falando com sotaque espanhol, nossa!!! kkkk

Tô indo a SP na terça e só volto na sexta, se ficar para o final de semana poderemos juntar a familia!!!

beijão!!!

carmen silvia presotto disse...

Patrícia consegues humor até numa hora destas, digo sempre que a escrever nos salva, e quando bem e com humos a cura vem mais rápida... Sempre bom te ler, um beijo carinhoso e junto sopro de melhoras.

Patrícia Gonçalves disse...

Carmem, tenho um senso de humor acentuado, algumas vezes pende para o negro! Enquanto o médico maluco achava que eu estava com gripe suína, só conseguia rir e pensar que daria um texto para o blog!

Obrigada querida!!

beijo carinhoso!

Valéria Sorohan disse...

Sempre bom te ler, transformou um dia no hospital, em algo agradável de ler. Que bom que está curada.

BeijooO*

Pérola Anjos disse...

Ironizar a vida pra deixá-la mais leve; se ela fizer cara feia, fazer uma careta mais feia pra ela e depois relatar com humor e graça: dom de poucos.

Beijos e melhoras na melhora!

Pérola Anjos disse...

Ah! E o prazer é todo meu! :)

Patrícia Gonçalves disse...

Valeria, acho que fui picada pelo bicho da escrita, penso sempre como seria a história narrada. Tudo vira poesia, a chuva, a musica, a dor....

beijos e obrigada!

Patrícia Gonçalves disse...

Pérola, adoro fazer careta, sou um ser gaiato! Assim, nem doença escapa!

Obrigada e beijos!

Mariane disse...

A saber que tantas vezes somos nada mais do que hipoteses diagnóstica para alguns doutores...
que nem doutorado fizeram. Nossas escolas necessitam ensinar a arte perdida de Ouvir. Quantas intervenções e invasões poderiam ser simplificadas... quantas horas na espera???
E quem tem voz, Grite!

Carol Morais disse...

Realmente, esse negocio de achar que sabe tudo e nada eh coisa de medico mesmo. Claro, alguns sao muito bons, mas esses sao tao dificeis de encontrar na hora do aperreio. Eu imagino como voce deve ter passado esses momentos no hospital, e nao deve ter sido nada agradavel ter dado uma nota para a dor (espero que ela tenha passado logo, pq se tiver ficado de recuperacao, ai eh ruim demais)

Um super beijo para voce, Patricia linda!

(engracado, eu tinha lido teu post ha um tempao, e JURAVA que tinha comentado...rsrs..Eu que preciso ir a um medico, mas dessa vez a um psiquiatra)
Um cheiro

Marcio Nicolau disse...

Pelo que vejo nos comentários, você já está melhor.

:)

Patrícia Gonçalves disse...

Mariane, por isso, sou quase médica, formada pela internet.

bjs

Patrícia Gonçalves disse...

Carolzinha, você comentou o outro post, rsrssr. Não precisa de psquiatra nada!!!!

Adorei a dor ficar de recuperação! Na próxima vez irei falar isso!

Beijos linda!

Patrícia Gonçalves disse...

Márcio, já estou com a corda toda, quero dizer nem toda, ainda não dá para correr, mas chego lá!!!

beijão!

Andrea Cavalcanti disse...

Quer dizer que enquanto estávamos todos preocupados com a sua tosse, você estava fazendo poesianno hospital... Tsc, tsc, tsc...rsrsrs.

Patrícia Gonçalves disse...

Andrea, linda, não! Demorei uma eternidade para postar, nem sabia o que escrever me lembrei da experiencia no hospital e escrevi. Enquanto vocês estavam preocupados comigo eu estava preocupada com todos os outros pacientes nas mãos daqueles médicos loucos. Eu sabia que eu não estava com gripe suína, mas e os outros? Provavelmente, tomaram as bombas receitadas pelos médicos.

Linda, tudo é motivo pra escrever, até velório!!!

Beijo grande! Bom te ver por aqui!