quinta-feira, setembro 02, 2010

Partícula dos sentidos*



[ Reverbera em mim sonhos
uma praia azul
areias de pedras flutuantes
Reverbera em mim
o silêncio, de sentidos espiralados
reverbera em mim a loucura do encontro
reflexo da imagem reversa

o ar que infla e invade as entranhas
não reverbera
faltoso
penetra e sufoca meu eco ]

[ Enquanto me dispo
tu me olhas
olhar de pedra
na praia escura
a caravana segue
caminho contrário às ondas
manchas...
que cobrem meus pés ]

 [ noite escura
a lua de um quarto só
não ilumina
esconde
uma mulher que se prende
se perde
e se entrega...]

[ a outra metade
não é a metade de mim
se perdeu entre cores
desconstrução retilínea
de formas e irrisíveis amores

a outra metade jaz ]


* - Inspiração, que nem texto psicografado, da pena saem palavras, marcham enfileiradas e formam versos, independentes do meu querer, surgem de forma mágica ante as lindas imagens do Sr. do Vale


26 comentários:

Bípede Falante disse...

Patrícia, que a sua vertente mediúnica ou seja como se escreve essa palavra siga contigo, porque a sua poesia está incrívelmente forte e bonita. bjs.

Ester disse...

Pat, querida!

Que inspiração majestosa, a riqueza do seu sentir sobrepoem as palavras e abre um universo nas entrelinhas dando asas a imaginação e subtítulos à novas composições..

não há uma só vez que eu te leia e não me emocione, que coisa!...

Bjs e minha admiração sempre!

Garotanasnuvens disse...

http://garotaenunvens.blogspot.com/

visita lá.

dade amorim disse...

Se é mediunidade não sei, mas fala à sensibilidade e mostra sem desvelar, o que é indispensável na poesia.
Lindo, querida.
Beijo pra você.

Lara Amaral disse...

Neste seu poema há de tudo um pouco o que me remoe, me fascina, me deixa entregue. Preciso dizer que amei!
Ah, e tbm adoro a arte do Sr. do Vale, a forma como ele escreve com cores não é para qualquer um.

Beijos!

Sr do Vale disse...

Linda
Leve
Solta

Entregue a caravana dos sonhos e das paixões, retilínea lembrança que reverbera em meu coração colorido.

carmen silvia presotto disse...

Eco de ti, reverbero em versos... tua poesia tem uma ondulação cativante.

Um beijo.

Carmen Silvia Presotto

Patrícia Gonçalves disse...

Bípede, sempre quis poder psicografar um texto, imagine, baixar aqui, T.S.Eliot que amo, Clarice, e todos os outros.

Obrigada, querida!

beijo grande!

ONG ALERTA disse...

As metades se encontram e se completam, paz.
Beijo Lisette

Cris de Souza disse...

Reverbera nesse enredo o enlevo.

Belo, belo!

Beijos, Patrícia.

Juan Moravagine Carneiro disse...

perfeita "colagem"

abraço e agradecido pelas visitas ao Rembrandt

Marcelo Novaes disse...

Patrícia,


Se as pinturas do Sr. do Vale suscitaram tais ecos e reverberações, ótimo!








Um beijo.

Patrícia Gonçalves disse...

Ester, seu comentário me deixou sem palavras!

Não é rasgação de seda gratuita, mas digo o mesmo de você!

beijão

Patrícia Gonçalves disse...

Garota,

Fui e gostei! Tô te seguindo!

bjs

Patrícia Gonçalves disse...

Dade,

Sim, gosto do véu que cobre transparente e dar um ar de neblina na serra.

Obrigada, querida! Beijo grande!

Patrícia Gonçalves disse...

Lara, há um pouco de tudo que vi e senti nas cores do Sr. do Vale1

beijo moça! Obrigada!

Patrícia Gonçalves disse...

A Sr. do Vale, obrigada pela visita!

Boa caravana essa que traz os amigos, entoadas na noite e o barulho do fogo crepitando na fogueira.

Patrícia Gonçalves disse...

Carmem, obrigada! Ondulação, ondas, freqüência, sintonia... estamos todos nessa!

beijos!

Patrícia Gonçalves disse...

Lisette, assim, seja!

beijos!

Patrícia Gonçalves disse...

Cris, obrigada!!!

Beijos, moça!

Patrícia Gonçalves disse...

Juan, eu é que agradeço a visita!

abraços!

Patrícia Gonçalves disse...

Marcelo, Obrigada pela visita!

Na verdade, todo mundo aqui é inspiração!!!

Beijo grande e volte sempre!

Canteiro Pessoal disse...

Patrícia, uauu... minha ossada é encharcada com a intensidade das palavras, como dançam e sacodem meu traçado.

Sr do vale, é realmente, jorrante em intensidade, as partículas vomitam sangue na pele daqueles que o observam.

Respiro
fundo
tão profundo
e absorvo em grito
o amplexo apertado
Suave entrega
e segura por tudo
que há nos acordes.

Abraços

Priscila Cáliga

Andrea de Godoy Neto disse...

teu poema é arrebatador! como se um pé de vento nos tomasse por dentro

passar aqui é sempre uma experiência intensa

beijos

Patrícia Gonçalves disse...

Priscila, que maravilha!!!! Adorei seu poema! Obrigada!!! Quanta intensidade!


beijos!

Patrícia Gonçalves disse...

Andrea, que bom que te sentes assim! Bom saber que a palavra te chega e é acolhida!

beijo grande!