sexta-feira, outubro 29, 2010

Eu, você, nós

Quando compartilho dor, amor, vida, tudo, tudo deixa de ser somente meu, pois você se apropria de mim, de minhas vontades, meus quereres, das dores. Sou eu em palavra lida, sentida. A cada verso ou frase, me abro como em flor de papel. E, é tão real, que na ponta do dedo me tens. Se esticar um pouco mais o braço, verá, você toca minha alma.





P.S - Houve um tempo que eu sentia com tamanha intensidade que doía, não no outro, mais em mim mesma. Que bom que os tempos passaram e com a maturidade veio uma calmaria boa, de quem pode sentir muito e se arrebatar, mesmo, sem se arrebentar, o principal. 


Beijo grande a Linda Lua Nova que ao compartilhar  vida conosco, deixa um pouco do seu brilho de lua em nós!

20 comentários:

Lua Nova disse...

Adorei isso. Você escreve lindamente e sempre chega mansa no meu coração. Admiro muito vc, mulher!
Beijokas.

Mariane disse...

Flor de papel...
Frágil, delicada
Real, enigmática

O que é sentido na pele da emoção, carregamos junto como construção da própria história. Então, depois do Eu, você e nós; nada será como antes foi, na mescla das vidas há um novo recomeço!
Beijos menina!

carmen silvia presotto disse...

"Sou eu em palavra lida, sentida. A cada verso ou frase, me abro como em flor de papel..."

Patrícia ao ler isso, pensei, nossa isso cabe exatamente em mim, e assim é a Poesia, conVersa sempre!!!

Um beijo carinhoso, e entrar aqui para te ler me faz muito bem.

Ivan Bueno disse...

Patrícia,
Tão lindo em tão poucas palavras. Quisera eu poder dizer o mesmo que você em relação a ter aprendido a dosar minha intensidade (vide meu perfil de intensidades). Mas eu chego lá.
Ter a alma tocada (e tocar almas) é algo delicioso, mas é preciso este aprendizado ou é bom ter este aprendizado.
Beijo, poeta.

Ivan Bueno
blog: Empirismo Vernacular
www.eng-ivanbueno.blogspot.com

Ana SS disse...

As vezes somos puro corpo.

Uni ver sos disse...

Escrever é morrer um pouco, deixar sua essência no olhar do outro, e renascer em seguida na empatia estabelecida,

merecida homenagem a lua,

Bjs!

Ξ ѕ t є я ☆

Juan Moravagine Carneiro disse...

corpo...alma...

Bípede Falante disse...

E não é fácil e acho que nem para todos!
beijo.

Paulo Francisco disse...

Muito bom. Estou gostando de ficar por aqui lendo, lendo, lendo...

Saulo Taveira disse...

É moça, você é tão exata, sem rodeios e tão leve, que toca num suspiro de satisfação.

Belo texto e homenagem. Lua Nova é uma linda mulher.

Beijos e apertado abraço nas duas.

Patrícia Gonçalves disse...

Lua, querida, é você que chega ao meu coração e me toca. A admiração é mutua!!!

beijos!

Patrícia Gonçalves disse...

Mariane, você e suas interpretações, sempre tão precisa e poética! Adoro te ler!

beijos!

Patrícia Gonçalves disse...

Carmem, pois é, o bom da poesia é que nos lemos no outro e aí percebemos que somos todos UM!

beijão, linda!

Patrícia Gonçalves disse...

Ivan, característica dos poetas, ser intenso, quanto a tocar almas, o senhor já é mestre!!!

beijão

Patrícia Gonçalves disse...

Ana, sim, e aí dói.

bjs

Patrícia Gonçalves disse...

Ester, acho que é isso mesmo, um eterno renascer...

beijo grande linda!

Patrícia Gonçalves disse...

Juan, sim, algumas vezes podemos sentir, como um afago...

Patrícia Gonçalves disse...

Bípede, não é! bjs

Patrícia Gonçalves disse...

Francisco, que bom, fique mais, puxe uma cadeira. deixa eu te servir um café ou chá.

bjs

Patrícia Gonçalves disse...

Saulo, talvez minha leveza seja ausência de matéria corpórea, rsrs

Obrigada!

beijo grande, moço!!