sexta-feira, outubro 21, 2011

Cursed

Cada palavra era como beijo suave, adejar de borboleta pós chuva fresca em manhãs primaveris.

Buscava-a, como quem busca furtivo uma droga, se esgueirava sorrateiro atrás de sombras e, talvez, uma culpa. Resistia à possibilidade de tê-la perdido, embora nunca a tivesse. No entanto, guardava um segredo, entre poesias, vinhos e desejos, vislumbrara sua alma nua, e agora, a mantinha aprisionada em lembranças, essas que voltavam intermitentes para assombrá-lo.


E, como em um pacto, foram ambos amaldiçoados, por palavras e lembranças, a se buscarem...

12 comentários:

Helcio Maia disse...

Acho que isso acontece mesmo, a busca inconsciente de uma culpa, de algo que se interponha entre o desejante e o desejo, um muro invisível, feito de possibilidades que se disfarçam em impossibilidades, proximidades transformadas artificialmente em distâncias, calor trocado por frio, vinho por um cálice vazio.
E a busca absurda arrasta-se como corrente de um fantasma recorrente que, de tão familiar, já nem assusta mais.

Paulo Francisco disse...

Sei lá! acho que assusta sempre...
Adorei o texto.
Um beijo grande

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

As vezes
o que mais nos
dá medo,
são as lembranças
que possuem vida
própria em nós.


Que os sonhos te habitem
o coração, sempre...

dade amorim disse...

Oi, Pat, muita saudade daqui, ando meio perdida de muitos blogs amigos, como este.

Beijo beijo e vamos nos ver, tá?

Rafael Castellar das Neves disse...

Muito bom...simples, curto e carregado!

[]s

Wilson Torres Nanini disse...

As nuanças de um assombro: afetos desencontrados, mesmo que percorram o mesmo caminho.

Altamente poético, com suas borboletas adejantes!

Patrícia Gonçalves disse...

Helcio, concordo com você, há sim um objeto que se interpõe entre o desejante e o desejo, e como em um ato falho esse vem disfarçado lindamente de uma leve sabotagem. Mas, ao longo nos distraímos e nem percebemos que o fantasma é um amálgama de eus perdidos e fantasias, e como em um filme de realismo fantástico a imagem refletida é a nossa.

bjs

Patrícia Gonçalves disse...

Paulo, fantasmas assustam...

Obrigada!

Beijo grande, querido

Patrícia Gonçalves disse...

Aluisio, querido amigo, é isso, as lembranças ficam como provas de um crime.

bjs

Patrícia Gonçalves disse...

Dade, que bom vê-la aqui, todos nos perdemos um pouco nesse mundo grande!

Beijos, vamos nos ver sim!

Patrícia Gonçalves disse...

Rafael, que bom, algumas vezes não precisamos de muitas palavras!

bjs

Patrícia Gonçalves disse...

Wilson, gostei das nuanças do assombro, resumiste bem!!!

beijos