segunda-feira, setembro 19, 2011

Indisponível

Não me olhe
Não sou mais quem digo ser
Fui
Meu sorriso não diz nada, não se iluda
Minhas palavras são vazias, promessas não cumpridas
Seja você por você, não me espere
Nem me dê a mão, tampouco
Não queira um carinho, palavra amiga, muito menos respostas

Talvez, um café na manhã cinzenta, e basta!

2 comentários:

Helcio Maia disse...

Um café na manhã cinzenta...hasta!
Não somos o que dizemos, dizimemos as palavras. Dizem menos as palavras que sorrisos (ainda que eles nada digam). No vazio das palavras, há espaço para algo melhor.
A melhor resposta: uma posta de manhã.

Júlio Machado disse...

Por hora, para a personagem do texto, há um quê de amargo. Que o café da manhã cinzenta, ao menos, esteja bem docinho.

Abraços!